COMÉRCIO INTERNACIONAL

O Brasil tem uma vasta área de terra de aproximadamente 850.280.588 hectares, com um clima tropical e subtropical típico. 61% da terra brasileira é de vegetação nativa, 8% é terra arável, 19,7% é prado, 11,4% é área urbana e a resta é construção pública. Nos grãos cultivados do Brasil, 67% deles são grãos anuais, 32% são permanentes ou perenes. Nos grãos anuais, 67% são soja e os outros incluem milho, feijão, algodão, arroz, horticultura, etc. Das culturas permanentes ou perenes, 11,7% são cana-de-açúcar, 9,5% são vegetação florestal, 4,6% são frutas, 3,4% são café e outras espécies respondem por 2,8%.

No Brasil, 20% das terras são prados e grandes prados são convertidos em plantações pelos camponeses brasileiros. Algumas terras de soja em Mato Grosso são convertidas de prados. O Brasil carece de infraestrutura, que continua influenciando o desenvolvimento agrícola. Recentemente, o Banco Mundial lançou uma pesquisa que exacerbou essa preocupação. De acordo com a pesquisa, o problema mais sério que a agricultura brasileira enfrenta é que não há infra-estrutura suficiente, e a soberania nacional não tomou medidas para resolver esse problema. No anuário de 2015/16 publicado pelo Banco Mundial, o Brasil ocupa o 123º lugar entre 140 países, tanto em infraestrutura quanto em portos. Isso é muito sério para o Brasil, já que 60% dos grãos do país são transportados por caminhão, e apenas 13,5% das estradas do país são asfaltadas. Essa falta de infraestrutura pode levar a uma falta de competitividade e instabilidade das mercadorias exportadas, pois o grão pode ser destruído ao longo do caminho de transportação. O processo de melhoria da infraestrutura é lento e mal consegue acompanhar a expansão da produção.

Mato Grosso é a maior região produtora de grãos do Brasil, representando 24,4% da produção de grão. A segunda é o Paraná, com 17,9%, e a terceira é o Rio Grande do Sul, com 15%. A agricultura é responsável por mais de 50% do PIB de Mato Grosso e a soja é a plantação mais importante.

INVESTIMENTO NO BRASIL

O modo de entrada no mercado refere-se à forma que uma empresa adopta ao entrar o mercado-alvo depois de escolher um. Influenciado pelos fatores tais como o ambiente do mercado, de produto da empresa e de competitividade do núcleo de empresa, os modos de que as empresas entram no mercado internacional também são diferentes, que podem ser divididos em modo de contrato, modo de exportação e modo de investimento. A partir da realidade da empresa, a Câmara de Comércio Brasil China oferece soluções de alta qualidade para a empresa.

DESEMBARAÇO ADUANEIRO

A CCBC oferece os serviços de desembaraço aduaneiro:

 

• Gestão de importação e exportação, registro de DI e DTA.

• Classificação de mercadorias e fornecimento de NCM.

• Manuseio e preenchimento de documentos exigidos para a declaração aduaneira (não apenas impressos, mas também eletrônicos).

• Consultoria sobre as taxas alfandegárias, impostos, valoração e entre outros.

• Solicitação de certificados sanitários, licenças para diversos tipos específicos de mercadorias e documentos exigidos. 

• Representar o cliente nos departamentos relevantes do país.

• Fornecimento de armazéns alfandegários e temporários.

• Resolução dos problemas encontrados no frete internacional